O preço do progresso: desmatamento e o aumento da temperatura

Estamos vivendo em um mundo que cada vez mais está com temperaturas elevadas, a cidade de Almas não é diferente, o progresso está chegando, grandes fazendeiros se instalando em nossas regiões, por um lado isso é bom para as regiões se desenvolverem, mas por outro lado temos que pagar um auto preço, a nossa cidade era cercada por áreas verdes pés de cajuzinho do cerrado e de pequi eram abundantes, rios e córregos não secavam éramos ricos em agua, com a chegada de fazendeiros que compraram grandes áreas o desmatamento foi feito, as consequências disso começaram a aparecer durante a década passada, quando no ano de 1998 houve uma grande chuva de ventos a mais de 80 km por hora, que derrubaram casas destelharam outras e ainda arrancou arvores pela raiz.


A partir desse ano as temperaturas começaram a subir, e o período chuvoso começou a alterar, a seca ficando mais longa e os períodos de chuva mais curtos, os córregos estão secando, mesmo os que não secavam, os cajus e os pequis sumiram, esses viraram artigos de luxos, acabou em nossa cidade a reunião familiar para a caça aos cajuzinhos que a tanto tempo era passatempo, quando as mesmas faziam seus doces caseiros, hoje ninguém mais está fazendo essas praticas, as nossas matas foram substituídas por plantações de soja, as temperaturas em Almas sempre beira os 40 graus com sensação térmica de 45, para a diminuição da temperatura e ter um ar mais fresco o recomendado é o reflorestamento do cerrado com plantas nativas para que os córregos voltem a ficar cheios e o ar mais limpo de poluentes.mas não prejudicando a cultura da soja já instalada. 

Comentários