Secretário diz que Setas é quem entrega cartões e que não existe regra para distribuição nos CRAS

O secretario de Ação Social, Agimiro Costa, entrou em contato com o site Roberta Tum no final da tarde de ontem, terça-feira, 29, para afirmar que quem está entregando os cartões do programa Tocantins Sem Fome são servidores da Setas, indicados através de portaria para viajar pelo Estado fazendo este trabalho.

Roberta Tum 

Lourenço Bonifácio
 Secretário da Setas, Agimiro Costa
Secretário da Setas, Agimiro Costa
Agimiro respondeu à críticas de que aliados do governo, especialmente pré-candidatos a prefeito e vereadores estariam se utilizando dos cartões para aparecer diante de suas comunidades como os responsáveis pelo benefício.

“Se a gente entregar através das prefeituras, somos acusados de beneficiar os prefeitos que são candidatos. Então estamos gastando uma fortuna com diárias e combustível para mandar nosso pessoal. Agora, o que eu disse que não tenho como impedir, é que um vereador, ou qualquer político transporte as pessoas para ir buscar”, esclareceu.

O secretário disse ter sido mal interpretado quando afirmou que não falaria mais sobre o assunto. “O que eu disse não foi que não atenderia mais a imprensa. Imagina, estou pronto para atender a hora que for preciso. O que eu não posso mais é ficar atendendo ligações do Estado inteiro toda hora, com gente querendo reclamar da distribuição”, afirmou.

Mais de R$ 949 mil entregues em compras

Segundo Agimiro Costa, a nova metodologia encontrada pelo governo de fazer a entrega do benefício via cartão, substituiu a antiga entrega de cestas básicas, que permitia muito mais a utilização indevida por parte de agentes políticos.

“Com este novo método, ao invés de entregar cestas duas vezes por ano, a pessoa que recebe o cartão vai receber crédito nele para comprar na sua cidade, o que ajuda o comércio. E são quatro vezes por ano”, informou.

Conforme o secretario informou ao Site RT, já foram sacados do programa, via compra direta, R$ 949 mil reais, o que corresponde ao cumprimento de 51% da meta prevista para o mês de maio. “Vamos pagar mais R$ 894 mil, quando todos os cartões estiverem entregues e forem utilizados”, disse.

No ano passado, o Estado licitou a compra toda das cestas, o que ficou em mais de R$ 16 milhões, licitação vencida pela rede Meio a Meio. Pela nova forma de operacionalizar o benefício, o comércio das pequenas cidades vende os produtos, movimentando a economia local.

CRAS sem estrutura

Sobre a crítica de prefeitos, primeiras-damas e vereadores a respeito da entrega dos cartões acontecerem em outros espaços que não nos Cras, o secretário afirmou que esta obrigação não existe. “Em muitas cidades, a estrutura dos Cras não permite esta entrega, não cabe quatro pessoas lá dentro. Em Araguaína que é uma cidade grande, tivemos que usar a estrutura do Sine para entregar, mas são os profissionais da Setas que estão entregando”, voltou a garantir.

Para Agimiro, o agente adequado para entregar os cartões é o estado, já que as eleições este ano são municipais. “De qualquer jeito haveria reclamação. Mas isso é temporário, os próximos depósitos serão feitos normalmente e julho, outubro (após as eleições) e dezembro. Quem tem o cartão vai poder usar direto, sem interferência de ninguém”, finalizou.

Fonte: Roberta Tum

Comentários