Governo debaterá em 14 municípios do Estado a aplicação de mais de R$ 650 milhões em recursos para estradas

Populações de 72 municípios poderão escolher obras com as quais cada cidade será contemplada

O cronograma de uma nova etapa de consultas públicas do PDRIS – Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado Sustentável prevê encontros em 14 municípios, sendo eles: Abreulândia, dia 19 de março; Dois Irmãos, dia 21; Miracema do Tocantins, dia 23; Miranorte do Tocantins, dia 26; Lajeado, dia 28; Tocantínia, dia 30; Pugmil, dia 2 de abril; Barrolânida, dia 4; Paraíso do Tocantins, dia 9; Lagoa da Confusão, dia 11; Nova Rosalândia, dia13; Oliveira de Fátima, dia 16; Pium, dia 18 e Cristalândia, dia 20 de abril.

Nesta etapa, as populações dos municípios, além apontar suas prioridades com relação às estradas vicinais que devem receber investimentos do PDRIS, vão receber informações sobre os outros componentes do projeto, onde serão contempladas ações de melhoramento da malha viária pavimentada, da capacidade de gerenciamento do transporte no meio do apoio institucional, eficiência dos serviços públicos, modernização da administração pública, desenvolvimento da produção local, do gerenciamento ambiental e da educação.

O PDRIS é um grandioso projeto que o governo do Estado está implementando em parceria com o Banco Mundial, com recursos da ordem de US$ 375 milhões, aproximadamente R$ 682 mi. Desse total, US$ 300 milhões serão financiados pelo Banco Mundial e US$ 75 milhões – mais ou menos R$ 136,5 milhões a contrapartida do Estado.

As consultas públicas fazem parte da primeira ação do PDRIS, que é direcionada exclusivamente para 72 municípios das regiões Noroeste, Centro-oeste e Sudeste do Estado. Nesses encontros a própria comunidade escolhe as obras com as quais seu município será contemplado.

Juntos, esses 72 municípios vão receber US$ 73 milhões na melhoria das condições de transporte nas redes municipais. Nesse rol entram pontes de até 30 metros, galerias, bueiros e outras obras que eliminam as deformações das estradas e favorecem a drenagem das águas pluviais.

Fonte: SECOM-TO

Comentários