Almas sedia primeira Festa do Peixe do Estado

De olho na crescente produção de peixe na cidade, a Associação de Piscicultores de Almas e Região (APAR) pretende reunir durante o evento, produtores associados, novos produtores, comerciantes, interessados no ramo e autoridades, para mobilizar toda região sobre o crescente cultivo e consumo do pescado.

Na programação estão previstas palestras sobre o cultivo e manejo, licenciamento ambiental, a importância do peixe na alimentação e o desenvolvimento da piscicultura no Estado. Mas, os organizadores apostam que o ponto alto da festa será a feira gastronômica com degustação de pratos típicos como a muqueca baiana, muqueca capichaba, peixes fritos, caldo de peixe, entre outros feitos a partir das espécies cultivadas na região.

O público também poderá conferir exposição de peixes e produtos de cultivo e de pesca.
Atualmente o município conta com cerca de 40 pisicicultores que produzem 800 toneladas de peixe por mês. Dentre as espécies cultivadas estão o Tambaqui, Tambatinga, Caranha, Piau, Pintado e Matrinchã.
De acordo com o presidente da Associação, José Carlos Botelho, a ideia da festa surgiu após reuniões da Apar na tentativa de se reestruturar e mobilizar as pessoas e autoridades para transformar o evento em uma festa típica no calendário da cidade.

A Associação

A Apar surgiu da necessidade dos pequenos produtores de peixes da região em romper as barreiras que envolvem a psicultura, como por exemplo: a burocracia no Licenciamento Ambiental junto ao Naturatins, manejo, aquisição de rações, abate e negociação do pescado.

Segundo José Carlos, a Apar vem trabalhando com os produtores a ideia do associativismo e qualificação em gestão e tecnologia no cultivo. "Com a Associação reestruturada, pretendemos utilizar a nossa maquina de gelo, doada pelo Ministério da Pesca, para garantir gelo aos associados e o excedente comercializar; criar o nosso balcão de negócios junto a futuros compradores de pescados, melhorar e regulamentar a etapa do abate do peixe, pontua o presidente.

A Associação conta com o apoio de diversos parceiros na área técnica, de organização e de estruturação como: Ministério da Pesca, Ruraltins, Senar, Embrapa Peixe-To, Prefeitura Municipal de Almas, Mineradora Rio Novo, Sindicato Rural de Almas e o comércio local, bem como (repete apoio lá no inicio do parágrafo se retirar dá o mesmo sentido) dos dois maiores produtores da região: Tamborá e Piracema.

 (Informações da assessoria do evento

Fonte: O Jornal

Comentários