Alunos reclamam que Prefeitura de Almas cobra para transportá-los até faculdade: secretário diz que não tem como cobrir gastos



Alunos que moram em Almas e estudam na Faculdade de Dianópolis estão revoltados com a prefeitura que, segundo eles, cobra um valor alto para transportá-los até a faculdade. De acordo com um dos alunos que preferiu não se identificar, muitos estudantes tem desistido por não poderem pagar o preço cobrado. Segundo o secretário de Transporte, Atroaldo Lunardi, a prefeitura não tem condições financeiras para cobrir os gastos e destacou que a administração paga cerca de 22 litros de óleo e mais 250 reais por mês ao motorista.

Cidade de Almas

Os estudantes que moram no município de Almas e estudam na Faculdade de Dianópolis (FADES) estão indignados com a atitude da prefeitura que, segundo eles, cobra um valor muito alto para levá-los até a faculdade. A informação foi passada ao Site Roberta Tum por um dos alunos que preferiu não se identificar, mas que se mostrou revoltado com a suposta cobrança.

Segundo o aluno, a prefeitura cobra 60 reais pelo abastecimento do ônibus, mas neste mês cada estudante teve que pagar 80 reais. “A Prefeitura cobra uma taxa muito alta e em outros municípios não assim. Cidades como Porto Alegre e Rio da Conceição também transportam alunos para o mesmo destino, mas não cobram nenhum valor. Já aqui temos que pagar um valor alto e só vamos de segunda a sexta, sendo que sábado também tem aula”, contou o aluno.

Dificuldades

De acordo com o que foi informado, a situação tem contribuído para o aumento das despesas dos alunos e para que alguns até desistam de estudar. “Agora só são dez que dependem do transporte, pois os outros desistiram de cursar pela dificuldade financeira de não poder bancar o transporte que deveria ser gratuito. Essa é a oportunidade de cursar uma faculdade mais próxima e realizar nossos sonhos. Queremos nos formar em um curso superior, mas devido a essa atitude vergonhosa da prefeitura, muitos desistem. Isso é um absurdo”, desabafou o aluno.

Secretário esclarece

O secretário de Transporte do município, Atroaldo Lunardi, informou ao Site Roberta Tum que a prefeitura cede um ônibus para transportar os alunos e que a taxa cobrada é necessária apenas para custear o combustível. Segundo ele, a prefeitura paga cerca de 22 litros de óleo e mais 250 reais por mês para o motorista.

Lunardi também negou que prefeitura receba o dinheiro dos alunos. “A prefeitura recebe apenas a nota fiscal do abastecimento assim é de responsabilidade dos alunos o recolhimento do dinheiro e o abastecimento. Nós apenas cobramos a nota fiscal”, disse o secretário.

Ainda de acordo com o secretário, há dois meses os alunos não apresentam as notas para prefeitura, mas que mesmo assim o ônibus não tem deixado de transportá-los para a faculdade.

Na ocasião, o secretário ainda destacou que não é de responsabilidade da prefeitura custear o transporte de estudantes que cursem o ensino superior em outra cidade e garantiu que a administração não tem condições financeiras para arcar com os gastos.

Fonte: Roberta Tum

Comentários

  1. Que vergonha! A prefeitura tem sim obrigação de custear os gastos dos alunos que desejam ter um ensino superior,já que não oferece este ensino em sua própria cidade. Cabe as autoridades locais, buscar meios que possam resolver as situações dos alunos sem prejudicá-los. Sou de Porangatu Goiás, estou abismada com essa notícia!..

    ResponderExcluir

Postar um comentário